Alugue vs. Compre: como decidir em 5 etapas

Não há dúvida de que comprar uma casa é uma decisão importante na vida, mas é a certa para você? Claro, não há uma resposta correta única, pois há prós e contras tanto em alugar quanto em comprar. Um fator importante no processo de tomada de decisão de qualquer pessoa se resume às finanças. Na maioria dos casos, o aluguel parece ser a opção mais acessível.

No entanto, nem sempre é esse o caso. Sua decisão pode se resumir a várias considerações de estilo de vida, como se você deseja flexibilidade ou estabilidade, quais são seus objetivos de carreira e se deseja um lugar que realmente considere seu.

Se você não sabe se deve alugar ou comprar, continue lendo para descobrir o que você precisa considerar antes de mergulhar.

Prós e contras do aluguel 

PRÓS

  • ·         Mobilidade / liberdade para se mover
  • ·         O proprietário paga pela manutenção
  • ·         Não requer custos de fechamento caros
  • ·         Sem flutuação nas despesas mensais de habitação
  • ·         Permite que você faça um test-drive em diferentes espaços de vida

CONTRAS

  • ·         Você não constrói nenhum patrimônio
  • ·         Capacidade limitada de personalizar seu espaço de vida
  • ·         O aluguel pode subir com o tempo
  • ·         O proprietário pode vender ou decidir parar de alugar
  • ·         Sentido limitado de estabilidade / permanência em casa

Prós e contras de compras 

PRÓS

  • ·         Você constrói patrimônio ao longo do tempo
  • ·         O valor da casa pode aumentar com o tempo
  • ·         Você pode obter benefícios fiscais
  • ·         Liberdade ilimitada para personalizar seu espaço de vida
  • ·         Sensação de estabilidade / permanência em casa

CONTRAS

  • ·         Os custos de fechamento podem ser proibitivos
  • ·         Responsabilidade pela manutenção e reparos que requerem tempo e esforço
  • ·         Menos flexibilidade para se mover (com maior dificuldade / despesa)
  • ·         O valor da casa pode diminuir
  • ·         Leis fiscais recentes podem prejudicar benefícios fiscais
Fonte: Reprodução: Pinterest

Alugue vs. Compre: como decidir em 5 etapas

1. Decida por quanto tempo você planeja morar no mesmo lugar

Em outras palavras, você está planejando criar raízes em sua comunidade ou deseja mais flexibilidade?

Se você tem certeza de que vai ficar em uma casa por pelo menos 5 anos, comprar uma casa pode fazer sentido. Isso porque pode ser um bom ajuste financeiro e emocional, você pode dar um toque pessoal à sua casa e realmente fazer com que pareça que é sua.

Porém, alugar é a melhor opção se você preferir ser mais nômade. Por exemplo, digamos que você realmente tenha esperança de conseguir uma promoção no emprego, mas é do outro lado do país. Você não quer ter que lidar com o incômodo de vender uma casa durante a transição para uma nova posição. Ou talvez você tenha se mudado para uma nova área e queira algum tempo para conhecer diferentes bairros antes de se estabelecer em algum lugar.

Claro, você pode comprar uma casa e vendê-la em alguns anos, mas os custos dificilmente compensam. Além dos custos iniciais de fechamento e mudança, você pode estar pagando mais custos de fechamento ao vender uma casa, além de outros custos, como reparos e renovações, que fariam com que a casa fosse vendida por um bom preço.

2. Estimar o custo de aluguel vs. Comprando

Em muitos casos, alugar pode ser mais barato do que comprar uma casa devido aos custos iniciais envolvidos. Isso inclui um pagamento inicial, custos de fechamento, custos de mudança, quaisquer renovações e outras tarefas de manutenção da casa.

Dito isso, só porque você pode pagar uma hipoteca não significa que pode pagar uma casa; despesas somam. Além de um pagamento mensal que é mais do que o principal e os juros de sua hipoteca, você também terá impostos sobre a propriedade, seguro residencial e (em muitos casos) seguro hipotecário, bem como taxas de associação de proprietário.

Por outro lado, comprar uma casa pode ser mais barato no longo prazo e oferece a oportunidade de acumular patrimônio. (Esperançosamente, o valor de sua casa aumentará quando você vendê-la) Na maioria das áreas, comprar uma casa é realmente mais barato, de acordo com um relatório que mostra que após 6 anos o pagamento da hipoteca do proprietário é menor do que isso de um locatário. Isso supõe que o aluguel tem um aumento de 5% a cada ano e o proprietário está pagando um pagamento mensal fixo.

Não só isso, mas há economia de impostos para ser um proprietário. (Embora com as recentes mudanças fiscais, pode haver limites quanto aos juros de hipotecas, impostos sobre a propriedade estaduais e locais que você pode dar baixa). Mas, de acordo com o mesmo relatório o pagamento do proprietário será menor do que o pagamento do locatário após 3 anos.

Isso não quer dizer que você deva mergulhar direto na questão da casa própria. É perfeitamente normal alugar por alguns anos, economizar e comprar uma casa se você está decidido a ter uma casa própria. A economia nos custos de ser um proprietário também pressupõe que você ficará em uma casa por um longo prazo e pode não levar em consideração os custos de manutenção. No entanto, se você pagar sua hipoteca e continuar morando com a casa, a economia pode ser significativamente mais barata, mesmo com os custos de manutenção da casa.

3. Mobilidade vs. Eliminando as raízes: o que é mais importante para você?

Por mais clichê que pareça, a vida acontece. Mesmo com a melhor das intenções, é difícil prever o que pode acontecer a seguir. Se você pretende ficar no mesmo lugar por muito tempo e tem os meios financeiros para isso, comprar uma casa pode fazer mais sentido. 

No entanto, é importante dar uma olhada em sua situação de vida atual e pensar se ela vai mudar ou não nos próximos anos. Porque se isso acontecer, suas necessidades de moradia também podem mudar (ou seja, você pode querer adiar a compra de uma casa). 

Por exemplo, você e seu parceiro de longa data podem ter acabado de ficar noivos e planejam se casar nos próximos 2 anos. Nesse caso, comprar pode não fazer sentido porque vocês dois querem descobrir como combinar suas finanças e elaborar sua rotina de orçamento antes de adicionar uma casa à mistura.

Ou digamos que você e seu cônjuge acabaram de se casar e não têm certeza se ainda querem começar uma família. Se você tem alguma ideia de que pode querer ter filhos em breve, não deve comprar uma casa que não vá acomodar uma família em crescimento dentro de alguns anos.

Em ambos os casos, pode ser uma boa ideia alugar por enquanto, para que você tenha tempo de descobrir o que quer em uma casa, quais são suas necessidades de orçamento e que tipo de casa pode ser mais adequada para seu estilo de vida espero ter no futuro.

4. Avalie os riscos de alugar e comprar

Conforme mencionado acima, existem riscos tanto para o aluguel quanto para a compra de uma casa. Embora você possa acumular patrimônio líquido ao comprar uma casa, existem alguns riscos financeiros. Por um lado, você pode perder dinheiro se houver uma desaceleração no mercado imobiliário local. Ou, se você vender sua casa mais cedo do que deseja, pode não ser capaz de compensar o que gastou em custos de fechamento ou reformas.

Não vamos esquecer os custos de manutenção. Essas são despesas que você precisará pagar para manter a casa em boas condições. Pense em verificar os filtros de ar e aberturas, testar alarmes de incêndio, paisagismo, consertar problemas de encanamento, entre outras coisas.

Se você está focado em outras coisas em sua vida, como uma carreira que exige que você viaje com frequência ou se você tem vários filhos pequenos para cuidar, adicionar a manutenção da casa à sua lista de responsabilidades pode não ser a melhor escolha.  

Por outro lado, alugar significa que você não terá a oportunidade de acumular patrimônio líquido como faria ao comprar. Seu aluguel pode aumentar a qualquer momento. Você também está à mercê do seu senhorio, por exemplo, sendo solicitado a se mudar ou tendo que lidar com pedidos de manutenção que estão sendo adiados.

5. Avalie sua situação financeira

É importante observar que você precisa ser realista quanto à sua situação financeira ao decidir entre alugar e comprar. Depois de estimar os custos de aluguel versus compra, seja honesto sobre se você pode pagar outros custos iniciais, como um pagamento inicial, reparos, custos de mudança e compra de móveis novos. Considere o uso de uma calculadora de hipoteca para estimar seus pagamentos mensais, bem como a quantidade de casa que você pode pagar.

Em ambos os casos, faça um orçamento cuidadoso agora mesmo, então não importa o que você escolha, você poderá pagar uma casa ou alugar.

Fonte: Reprodução: Pinterest

Alugue vs. Compre: algumas reflexões finais

Nem sempre há uma resposta clara para a questão de alugar ou comprar. Dependendo de sua situação de vida e finanças, a resposta pode mudar com o tempo. Existem outras opções, como aluguel de propriedade própria, onde você começa a alugar e depois se torna um proprietário. Não importa qual decisão você tome, é crucial tomar uma decisão informada com base em sua situação financeira e estilo de vida. 

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cons%C3%B3rcio

A MANEIRA CERTA DE DAR PARTIDA EM UMA BATERIA DE CARRO MORTO

Imagine o seguinte: você está partindo para sua próxima grande viagem de aventura. Você fez as malas com cuidado, guardou os lanches, encheu o tanque com antecedência e encontrou as rotas perfeitas para chegar onde deseja, com vistas incríveis ao longo do caminho. Só quando você é saudado por um temido “clique” depois de colocar a chave na ignição, é que você percebe que não vai a lugar nenhum. Pelo menos até você ligar sua bateria.

Não se preocupe! Reanimar sua bateria não precisa ser preenchido com faíscas e horas perdidas. Basta seguir estas etapas simples para se preparar e voltar para suas férias.

Fonte: Reprodução: Pinterest

Ganhe energia com estes itens indispensáveis:

Cabos jumper: você deve sempre manter um par de cabos jumper à mão no carro. Eles podem vir em comprimentos variados, normalmente de 3 a 20 pés. Embora cabos mais longos possam alcançar mais longe, você corre o risco de perder energia conforme a energia viaja ao longo do comprimento extra. Certifique-se de que os cabos que você usa não estão enferrujados, desgastados ou danificados.

Um carro com bateria funcionando: a menos que você tenha uma caixa de força em mãos, você precisará de outro carro para recarregar sua bateria. No entanto, deve ser a mesma voltagem do carro que está sendo saltado. A maioria das baterias de automóveis tem 12,6 volts ou mais. Se você possui um veículo mais exclusivo, como um trailer, consulte o manual do proprietário antes de dar um salto.

Pano ou toalha de papel: Este é opcional, mas útil se os terminais da bateria estiverem sujos. Antes de pular, limpe-os para permitir um salto ideal.

Fonte: Reprodução: Pinterest

Recarregue com estas etapas:

  1. Pegue todos os materiais e prepare-os. Limpe seus terminais, se estiverem sujos, e certifique-se de que crianças ou pequenos estejam fora do caminho. Também é útil desconectar todos os dispositivos desnecessários do veículo, como um carregador de telefone.
  2. Assim que os dois carros estiverem estacionados próximos um do outro, coloque cada carro em ponto morto ou em ponto morto e desligue a ignição de ambos os veículos. Certifique-se de que o freio de estacionamento esteja acionado.
  3. Conecte um dos cabos vermelhos ao terminal positivo da bateria descarregada. O terminal pode dizer “POS” ou “+” para ajudá-lo a identificá-lo.
  4. Conecte o outro cabo vermelho ao terminal positivo no carro em funcionamento.
  5. Enquanto estiver na bateria do carro em funcionamento, conecte um dos cabos pretos ao terminal negativo. Pode ser identificado como “NEG” ou “-”.
  6. Prenda o clipe final preto em uma superfície de metal sem pintura sob o capô, longe da bateria. Isso irá aterrar o circuito e evitar faíscas.
  7. Ligue o veículo em funcionamento e deixe-o funcionar por alguns minutos. Quanto mais “descarregada” estiver a bateria, mais tempo você precisará para operar o veículo.
  8. Tente ligar o seu veículo. Se não iniciar, continue operando o veículo em funcionamento por mais alguns minutos.
  9. Se o seu veículo PARTIR, não o desligue! Remova os cabos na ordem inversa em que os colocou (Preto – bateria descarregada, Preto – bateria boa, Vermelho – bateria boa, Vermelho – bateria descarregada).
  10. Pegue a estrada por pelo menos 15-30 minutos para garantir que sua bateria seja carregada.
  11. Se o seu carro não der partida na próxima vez que você der uma volta, pode haver um problema de bateria. Visite o mecânico mais próximo para verificar a bateria gratuitamente! E se você estiver procurando por uma bateria nova, compare baterias de carro online e confira preços especiais online.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Bateria_automotiva

Por que ter uma conta bancária offshore?

A regra ABC de ser um expatriado

Se você vem do país A e mora no país B; então você SEMPRE deve depositar no país C. 

Existem muitos motivos para esta regra, por exemplo:

✔   Melhores instalações bancárias internacionais, como contas em várias moedas e cartões VISA.
✔   Eficiência tributária.
✔   Tranquilidade e segurança (muitos bancos locais podem não ser seguros).
✔   Lei comum (não por exemplo a lei Sharia).
✔   Fortes níveis de proteção ao investidor.
✔   Melhores níveis de serviço e facilidade (como hipotecas para expatriados).

 Esta lista de benefícios de serviços bancários offshore continua indefinidamente.

Dado que a conta bancária offshore certa é a base sobre a qual todo o seu patrimônio é construído, é fundamental encontrar a conta certa para si mesmo.

Como escolho a melhor conta bancária offshore?

A escolha da melhor conta bancária offshore depende inteiramente de você.

Suas necessidades e circunstâncias determinam completamente qual conta bancária offshore será a melhor para você.

Às vezes, é uma conta de varejo básica, como HSBC Expat, Lloyds Offshore, Standard Bank Offshore, Barclays International ou RBS International. 

Às vezes, melhores instalações e serviços oferecidos por Offshore Private Banks, como Nedbank Private Wealth, Julius Bear, Arbuthnot e Latham são melhores.

Em algum lugar entre essas opções estão as plataformas híbridas de negociação / bancária, como Swissquote ou SaxoBank.

Alterar sua conta bancária offshore, uma vez aberta, pode ser como extrair os dentes do siso, então recomendamos que você tome muito cuidado ao escolher qual conta bancária offshore usar!

Existem muitas contas bancárias offshore disponíveis, mas as melhores tendem a cobrar taxas baixas e transparentes, são domiciliadas em uma jurisdição de direito consuetudinário confiável com boa proteção do investidor / depositante e permitem investimentos e operações bancárias na mesma plataforma online.

Fonte: Reprodução: Pinterest

Como posso abrir uma conta bancária offshore?

Escolha

Determine que tipo de conta bancária offshore você precisa.

Você pode usar nossas análises de contas bancárias offshore para ajudá-lo a escolher.  

Considere as taxas, acesso, benefícios e termos de cada um.

Elegibilidade

Determine se você é elegível para o tipo de conta oferecido. 

Se você não tiver certeza sobre isso ou quiser verificar sua elegibilidade para uma conta bancária offshore, entre em contato conosco. 

Inscrição

Conclua o processo de inscrição do banco escolhido.

Esteja preparado para fornecer identificação pessoal para cumprir os requisitos de diligência devida “conheça o seu cliente” da instituição.

Se precisar de ajuda para se inscrever, entre em contato conosco. 


Os expatriados britânicos ainda podem abrir contas bancárias?

sim.

Em geral, os expatriados britânicos devem seguir a regra ABC, que lhes permite proteger e aumentar sua riqueza, conforme detalhado acima.

A razão aqui é:

  1. Certifique-se de que seu dinheiro está seguro e protegido. Esse pode não ser o caso se você opera no mesmo país em que trabalha. Por exemplo, o país onde você trabalha pode ter regulamentações menos estabelecidas ou o governo e o próprio país podem ser instáveis.
  2. Certifique-se de que você pode manter moeda em uma conta offshore de várias moedas. Isso significa que você pode depositar ganhos e sacar fundos sem estar sujeito a taxas de câmbio ou taxas bancárias extras para transferências internacionais.
  3. Permita o acesso fácil aos seus fundos, independentemente da sua localização.
  4. Você não mora no Reino Unido, portanto, não deve deixar seus fundos expostos a impostos do Reino Unido no Reino Unido. Isso não quer dizer que você não deva pagar impostos no Reino Unido se tornar-se residente novamente.

A conta bancária offshore constitui a base segura para a criação de riqueza e as contas bancárias locais em sua casa e no país anfitrião são mantidas com saldos relativamente baixos para o pagamento de contas e despesas de rotina.

Fonte: Reprodução: Pinterest


Quais bancos offshore oferecem as melhores taxas de juros em contas de depósito?

Mesmo as “melhores” contas pessoais internacionais oferecem taxas de juros sobre saldos ridiculamente baixas no ambiente econômico atual. 

Portanto, se você detém muito dinheiro na conta, provavelmente é melhor não depositar esse dinheiro em uma conta bancária internacional básica.

Outras opções disponíveis para você incluem: –

  1. Utilizando um banco com capacidade de investimento integrada.
  2. Compra de instrumentos do mercado monetário
  3. Serviços de gestão dinâmica de caixa de empresas especializadas nesta área.
  4. Investir em um título offshore de comissão zero, por meio do qual você pode acessar vários depósitos sem abrir muitas contas online complicadas.

  5. As contas bancárias offshore podem ajudar os expatriados a comprar propriedades com hipotecas internacionais?
  6. Obter uma hipoteca como expatriado pode ser difícil. Apenas recentemente o NatWest e o RBS cancelaram as hipotecas para expatriados. 
  7. Ter um relacionamento com um banco forte pode fazer a diferença entre o sucesso e o fracasso ao tentar obter uma hipoteca como um expatriado. Se a compra de um imóvel está no topo de sua lista de prioridades, escolher um banco que opere nessa parte do mercado pode realmente ajudar, facilitando um empréstimo devidamente garantido e uma taxa de juros razoável.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Empresa_offshore

Como surgiu a história da astronomia

A astronomia foi a primeira ciência natural a atingir um alto nível de sofisticação e capacidade preditiva, o que alcançou já na segunda metade do primeiro milênio AC. O sucesso quantitativo inicial da astronomia, em comparação com outras ciências naturais, como física, química, biologia e meteorologia (que também eram cultivadas na antiguidade, mas que não atingiam o mesmo nível de realização), deriva de várias causas. Primeiro, o assunto do início da astronomia tinha a vantagem de estabilidade e simplicidade o Sol, a Lua, os planetas e as estrelas, movendo-se em padrões complexos, com certeza, mas com grande regularidade subjacente. A biologia é muito mais complicada. Em segundo lugar, o assunto era facilmente matematizado e, já na antiguidade grega, a astronomia era frequentemente considerada um ramo da matemática. Isso pode parecer um paradoxo para um leitor moderno, uma vez que as ciências matematizadas são consideradas difíceis. Mas na antiga Babilônia e na Grécia, foi precisamente porque os movimentos dos planetas podiam ser submetidos a tratamento matemático que a astronomia avançou tão rapidamente. Em contraste, a física falhou em obter grandes ganhos até o século 17, quando seu assunto foi finalmente matematizado com sucesso. E terceiro, a astronomia se beneficiou de sua estreita conexão com a religião e a filosofia, que fornecia um valor social que outras ciências simplesmente não podiam igualar.

Fonte: Reprodução: Pinterest

A tradição astronômica é de impressionante duração e continuidade. Algumas observações babilônicas de Vênus foram preservadas desde o início do segundo milênio AC, e os babilônios elevaram sua ciência a um alto nível no século 4 AC. No meio milênio seguinte, o maior progresso foi feito pelos astrônomos gregos, que colocaram sua própria marca no assunto, mas construíram com base no que os babilônios haviam realizado. No início da Idade Média, a principal língua do aprendizado astronômico era o árabe, como o grego havia sido antes. Astrônomos em as terras islâmicas dominaram o que os gregos haviam conquistado e logo aumentaram. Com o renascimento do aprendizado na Europa e o Renascimento europeu, a principal língua da astronomia tornou-se o latim. Os astrônomos europeus se basearam primeiro na astronomia grega, traduzida do árabe, antes de obter acesso direto aos clássicos da ciência grega. Assim, a astronomia moderna faz parte de uma tradição contínua, agora com quase 4.000 anos, que atravessa várias culturas e línguas. Este artigo enfoca essa linha central da história.

Ao fazer isso, infelizmente há pouco espaço para outros ramos fascinantes da história da astronomia. A astronomia do Novo Mundo, por exemplo, desenvolveu-se com total independência, mas não atingiu um nível tão avançado. Na China, a astronomia desenvolveu-se a um nível muito mais alto, mas lá também (apesar dos contatos intermitentes com a astronomia islâmica e indiana e até mesmo uma sugestão fascinante da influência babilônica na contagem chinesa de dias em intervalos de 60 dias) a história é em grande parte separada. Isso mudou com as missões jesuítas dos séculos 16 e 17 à China, que colocaram a astronomia europeia e chinesa em contato direto. Na Índia também a astronomia atingiu um alto nível, envolvendo métodos indianos originais, bem como adaptações indianas dos métodos babilônicos e gregos, frequentemente obtidos por meio de contatos persas. Todos esses ramos da história da astronomia são fascinantes e merecem seu próprio relato, mas não fazem parte do enredo principal deste artigo.

Qual é a diferença entre astronomia e astrologia?

Fonte: Reprodução: Pinterest

Astronomia é uma ciência que estuda tudo fora da atmosfera terrestre, como planetas, estrelas, asteróides, galáxias; e as propriedades e relacionamentos desses corpos celestes. Os astrônomos baseiam seus estudos em pesquisa e observação. A astrologia, por outro lado, é a crença de que o posicionamento das estrelas e planetas afeta a maneira como os eventos ocorrem na Terra. Se você está interessado no sistema solar e nos planetas, outros objetos celestes como asteróides e cometas, outras galáxias e o resto do universo, o que constitui o espaço e a possibilidade de vida alienígena ou viagens espaciais, a astronomia é o seu campo está considerando.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Astrologia

O QUE ACONTECE SE VOCÊ COLOCAR O CARRO EM MARCHA À RÉ ENQUANTO DIRIGE?

Se você já acidentalmente colocou a alavanca de câmbio em ponto morto enquanto dirigia, conhece a sensação de puro pânico quando o veículo de repente gira sem acelerar. Embora este momento possa induzir ao pânico, na maioria dos casos, não causará grandes danos.

Mas você já se perguntou o que aconteceria se acidentalmente colocasse a marcha ré do seu veículo em marcha à ré durante a condução? Saiba o que pode acontecer ao seu veículo com transmissão automática se você o colocar em marcha à ré enquanto dirige, e o que fazer se isso acontecer.

Fonte: Reprodução: Pinterest

É possível colocar o carro em marcha à ré durante a condução?

Antes de ver o que acontece se você colocar o carro em marcha à ré enquanto dirige, primeiro pergunte se é possível fazer isso. A resposta curta é: depende.

Muitos veículos modernos com transmissão automática têm controles eletrônicos que anularão a solicitação de mudança se o computador achar que é um erro. Se você engatar a marcha à ré enquanto dirige, eis o que pode acontecer.

1. Seu veículo ativará um recurso de inibição de reversão.

Muitos veículos na estrada hoje são equipados com um inibidor de reversão como uma medida de segurança para o veículo e para o motorista. Esse inibidor essencialmente ignora a solicitação para colocar a transmissão em marcha à ré enquanto o carro está dirigindo até que o veículo diminua a uma velocidade aceitável para mudar.

Os fabricantes de automóveis instalam esse recurso nos carros para proteger seu veículo de reparos caros e para ajudar a proteger você e a segurança de seus passageiros – especialmente em velocidades de estrada. Em muitos veículos, o inibidor de reversão é controlado pelo computador de bordo. Mas mesmo os modelos mais antigos utilizavam um sistema mais manual com um aparelho de controle hidráulico como sistema de inibição reversa.

Se o seu veículo estiver equipado com um recurso de inibição de ré, colocar o carro em marcha à ré enquanto dirige pode ser um pouco desanimador, pois o recurso não permitirá que nada aconteça até que você reduza a velocidade ou pare. No entanto, a melhor coisa que você pode fazer é evitar “testar” esse recurso, mantendo sua mão longe do câmbio enquanto dirige seu veículo automático.

2. Seu veículo irá parar e você poderá ouvir um ruído de trituração.

Se por acaso seu veículo não estiver equipado com um inibidor de reversão, ou estiver com defeito ou quebrado, colocar a transmissão automática em marcha à ré durante a direção provavelmente fará o motor morrer.

A transmissão automática do seu veículo é composta por um sistema de engrenagens que trabalham em conjunto para movê-lo pela estrada. As engrenagens irão girar em uma direção para impulsionar seu carro para a frente e na direção oposta ao dar ré. A transmissão automática usa um conversor de torque e fluido de transmissão para mudar as marchas e aumentar a potência do motor para a transmissão e, finalmente, para as rodas.

Fonte: Reprodução: Pinterest

Você coloca seu carro em marcha à ré durante a condução. O que agora?

Se, de alguma forma, você conseguir colocar a transmissão automática em marcha à ré enquanto dirige para a frente, a primeira coisa a fazer é manter a calma! O pânico pode induzir decisões irracionais e inseguras.

Quando você sentir que o veículo está enguiçado, desligue o acelerador, coloque o veículo em ponto morto e desça até o acostamento. Como o motor provavelmente morreu, você pode perder a assistência da direção hidráulica e a assistência do freio hidráulico, então, calma e cuidadosamente, pare o carro com segurança no acostamento. Certifique-se de que o carro pare totalmente e, em seguida, vire para o estacionamento. Pode ser necessário desligar o motor e ligar o carro novamente.

Com o motor ligado, coloque-o em movimento e comece a avançar lentamente. Se o veículo estiver dirigindo normalmente, vá em frente e dirija-se até sua mecânica mais próximo para que um especialista verifique se há sinais de danos no sistema de transmissão automática. Se o seu veículo estiver emitindo sons ou sentir problemas quando você começar a dirigir, pare e entre em contato com a assistência rodoviária para levá-lo ao centro de serviços de sua vizinhança.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Mec%C3%A2nica_automotiva

Gesso x estuque: qual é a diferença?

Muitas pessoas confundem gesso e estuque em casas antigas. Embora sejam semelhantes em muitos aspectos, são diferentes o suficiente para compreender quando e onde usá-los, especialmente em reformas, é fundamental.

Suas diferenças não são facilmente aparentes a olho nu. Gesso e estuque podem ser aplicados da mesma forma, com as mesmas texturas e espessuras, mas os ingredientes principais de cada um são o que os torna animais diferentes.

O post de hoje pode ser um pouco mais “geek de construção” do que “preservação prática”, mas acho que entender como e por que sua velha casa é assim torna você não apenas um humano mais sábio, mas um melhor proprietário. Então, vamos pegar nosso geek!

Gesso vs Estuque

Como acabei de mencionar, os ingredientes são o que fazem a diferença nesses dois materiais de construção semelhantes. Ambos são feitos com algum tipo de agregado, geralmente areia de vários tamanhos e texturas. Ambos precisam de água para misturar tudo e ativar o processo de cura.

A grande diferença é o fichário. O aglutinante é o que mantém tudo junto e cura para a consistência dura que todos nós conhecemos e amamos / odiamos.

Vou prefaciar este post para todos vocês, engessadores, dizendo que esta é uma explicação propositalmente simplificada do tópico. Gesso, estuque, reboco, etc. existem há milênios com tantas variáveis ​​e fórmulas que um livro de 1000 páginas não poderia cobrir tudo. Meu objetivo é ajudar os proprietários de casas a começarem a falar sobre o assunto.

Fonte: Reprodução: Pinterest

Gesso

Dependendo do tipo de gesso que você tem, você terá um de dois ligantes diferentes, cal ou gesso. Vejamos ambos:

  • Cal – antes do início dos anos 1900, a cal era o aglutinante principal em qualquer gesso. Até então, era mais barato adquirir do que os caros emplastros de gesso. O reboco de cal é um processo bastante trabalhoso de misturar água e cal e esperar que a cal “esfrie” antes de poder ser adicionada à areia para aplicação. A cal também precisava da adição de fibras como crina de cavalo para ajudar a fortalecer a parede. O reboco de cal também leva um tempo extremamente longo para curar completamente, às vezes demorando até um ano antes que as paredes pudessem ser pintadas ou revestidas com papel de parede.
  • Gypsum – Você provavelmente já ouviu falar de Plaster of Paris? Bem, isso é gesso. Ela ganhou o apelido porque, em 1700, Paris foi construída sobre alguns dos maiores depósitos de gesso natural do mundo na época. A maior parte do gesso veio de Paris, e por isso o nome pegou. Ao contrário do gesso, o gesso cura rápido (apenas alguns dias) e endurece ainda mais rápido, por isso fazemos moldes para membros quebrados com o material. Normalmente não exigia crina de cavalo para fortalecê-lo, como os rebocos de cal.

Os rebocos de gesso são rebocos de interior, normalmente não destinados ao uso exterior porque não funcionam bem com a exposição repetida à água.

Os gessos de cal, no entanto, podem se sobressair ao ar livre na maioria das condições climáticas e com certos aditivos para garantir que tenham uma longa vida útil.

Se sua casa foi construída antes da Segunda Guerra Mundial, as paredes e o teto geralmente são uma combinação desses dois materiais. As casas anteriores a 1900 provavelmente tinham paredes de gesso totalmente cal, enquanto as casas na primeira metade do século 20 podem ter paredes com uma camada de gesso marrom e arranhado e uma camada de acabamento de gesso. Lenta, mas seguramente, o gesso substituiu a cal no reboco interior, devido ao seu tempo de secagem mais rápido.

Isso não significa que o gesso seja um material melhor, simplesmente que a indústria da construção se transformou em gesso. Pessoalmente, prefiro um gesso velho como qualquer dia, mesmo que a maior parte do gesso que faço atualmente seja com gesso.

Reboco

Então, você sabe o que é gesso e o que não é agora, certo? Então, o que é estuque? O estuque, às vezes chamado de “reboco” pelos nossos vizinhos do outro lado do lago, é um revestimento externo que, historicamente, não era muito diferente dos estuques de cal.

Como o gesso de cal é feito de cal apagada (ou uma variedade de outros aglutinantes naturais menos típicos, areia e água), ele também recebeu vários aditivos para ajudá-lo a resistir aos elementos. O estuque às vezes continha qualquer um desses ingredientes incomuns:

Lama, argila, pó de mármore ou tijolo, serragem, sangue animal ou urina, ovos, queratina ou tamanho de cola (cascos e chifres de animais), verniz, pasta de trigo, açúcar, sal, silicato de sódio, alúmen, sebo, óleo de linhaça, cera de abelha, vinho, cerveja ou uísque de centeio. Ceras, gorduras e óleos foram incluídos para introduzir propriedades repelentes de água, materiais açucarados reduziram a quantidade de água necessária e retardaram o tempo de endurecimento e o álcool agiu como um arrastador de ar.

Todos esses aditivos contribuíram para a resistência e durabilidade do estuque histórico. Em 1824, uma nova invenção mudou a maneira como o estuque era usado em edifícios.

Fonte: Reprodução: Pinterest

O cimento Portland foi inventado em 1824 na Inglaterra e nomeado como tal porque seu inventor, Joseph Aspdin, achou que o concreto curado parecia pedra de Portland, que era um material de construção popular na Inglaterra na época.

O cimento Portland, misturado com areia e água, cria um estuque muito forte, muito mais duro e quebradiço do que o estuque. Enquanto o cimento Portland nos deu a capacidade de criar estuques mais duros do que a cal e os cimentos naturais normalmente faziam, o que ganhamos em força, perdemos em capacidade de reparo.

O cimento Portland também entrou em todos os tipos de coisas, como argamassas, e cria um material tão duro uma vez curado que pode causar sérios danos a edifícios antigos se instalado onde estuques de cal, estuques ou argamassas deveriam estar, porque sua rigidez é tão diferente de muitos materiais históricos que o cimento Portland pode resultar em mais danos aos elementos históricos.

Ao contrário da cal, não pode ser renovada com o tempo e a Mãe Natureza se desgasta lentamente com as coberturas de cal mais macias.

Então, você deve usar cimento Portland em seu estuque? Bem, isso depende se estava em seu estuque original para começar. Eu sempre recomendo substituir os materiais por materiais semelhantes. Se você tem estuque de cimento Portland, então, por suposto, remende e repare com uma fórmula de estuque semelhante, mas se você tem estuque de cal, nem pense em reparar com cimento Portland, a menos que queira mais reparos no futuro.

Então, aí está! Estuque e gesso. Gesso e estuque. O mesmo, mas totalmente diferente. Espero que você tenha gostado de receber seu velho geek da casa comigo hoje. Até a próxima vez, lute o bom combate e salve aquela velha casa!

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Gesso

Quais são os prós e os contras de cozinhar a gás?

Assim que a água ferver, abaixe um pouco o fogo, porque você sabe: em fogo menor a massa continuará cozinhando. Cozinhar a gás significa cozinhar com sentimento. Você pode controlar o calor com muita precisão e pode ver facilmente se ele está muito alto ou muito baixo. De frigideira de aço inoxidável a wok: você pode colocar qualquer frigideira no fogo perto de um fogão a gás. Neste artigo, explicamos o que você precisa para cozinhar com gás e quais são os prós e os contras.

A eletricidade pode ter facilitado nossas vidas de muitas maneiras, mas a abordagem mais eficiente e ágil para cozinhar é o uso de um fogão a gás. Quer seja a ferver ou a vapor, a refogar, a grelhar ou a refogar, existem inúmeras vantagens em cozinhar a gás.

Benefícios

  • Cozinhar a gás é mais barato do que cozinhar elétrico.
  • Você mesmo pode definir o fornecimento de calor com muita precisão.
  • Aqueça rapidamente suas panelas em uma grande fogueira.
  • Você não precisa comprar panelas novas.
Fonte: Reprodução: Pinterest

Calor imediatamente responsivo

A razão pela qual a maioria das cozinhas profissionais usa cooktops a gás é que elas podem controlar facilmente o calor. Com um simples giro do botão, a chama fica maior ou menor para que a mudança de calor seja imediata e precisa. Não é preciso esperar muito para que a frigideira aqueça ou esfrie, economizando tempo e garantindo que os pratos não estraguem com a resposta lenta. As temperaturas estão mais próximas do calor recomendado nos livros de receitas, ajudando você a obter resultados confiáveis ​​sempre que cozinhar. Há uma razão para dizer: “estamos cozinhando com gás!”

Distribuição uniforme de calor

Os cooktops elétricos e as panelas neles usados ​​precisam ser perfeitamente planos ou o calor não será distribuído uniformemente pelos tachos. As chamas em um fogão a gás são centrais para que aqueçam as panelas de maneira uniforme, sem pontos frios e sem chamuscá-los. Como toda a superfície de um cooktop elétrico aquece, os cooktops a gás tendem a ser mais seguros, pois ficam mais frios quando desligados, reduzindo o número de crianças.

Menos calor desperdiçado

Os cooktops elétricos emitem mais calor do que os movidos a gás, gerando excesso de calor em sua casa. Os cooktops a gás não apenas mantêm sua casa mais fria quando estão ligados, mas assim que você os desliga, a chama se apaga e a fonte de calor desaparece – não é assim com um cooktop elétrico, que continua a emitir calor depois de desligado.

Não afetado por cortes de energia

Se sua eletricidade for cortada por clima inclemente, você ainda pode cozinhar em um fogão a gás, já que as linhas de gás tendem a não ser afetadas pelo tipo de clima que pode causar quedas de energia elétrica. Embora a eletricidade seja necessária para alimentar a ignição, é fácil simplesmente acender o queimador com um fósforo.

Custos operacionais mais baratos

Os cooktops a gás podem ser mais caros para comprar e instalar, mas os gastos de longo prazo serão mais baixos, pois os custos de operação dos modelos elétricos são visivelmente mais altos.

Combustível mais limpo

Os cooktops a gás são muito mais ecologicamente corretos do que os elétricos, pois os produtos de exaustão de gás são mais limpos do que o carvão queimado para gerar eletricidade.

Fonte: Reprodução: Pinterest

Contras

  • Muita perda de calor: nenhum consumo eficiente de energia.
  • A limpeza é difícil devido aos suportes para panelas e queimadores.
  • Você cozinha com fogo aberto e é por isso que cozinhar a gás não é a maneira mais segura.

O que é cozinhar a gás?

Ao girar o botão do fogão a gás, o suprimento de gás se abre e o gás é convertido em calor com o fogo. Com o botão rotativo e o queimador de gás você determina o fornecimento de energia com muita precisão. Você quer ferver o molho de creme de cogumelos delicadamente ou quer cozinhá-lo em uma grande fogueira? Ao cozinhar com gás, você vê imediatamente o que está fazendo: quando você abaixa o gás, a chama imediatamente fica menor.

Qual conexão eu preciso?

Você precisa de uma conexão de gás em sua cozinha para cozinhar a gás. Há uma conexão de gás em quase todas as casas holandesas. No entanto, a transição para a cozinha elétrica está aumentando e atualmente não há conexões de gás nas casas recém-construídas.

Quais panelas eu preciso?

Você não precisa de panelas especiais para cozinhar com gás. Em princípio, cada panela é adequada para cozinhar no fogão a gás. Recomendamos cozinhar com frigideiras de ferro fundido, pois distribuem bem o calor e mantêm a temperatura uniforme por muito tempo. As panelas deformam-se devido às diferenças de calor entre a chama e o espaço onde a chama não atinge diretamente. Eles se tornarão um pouco mais convexos na parte inferior. Isso não tem efeito no aquecimento da panela.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/G%C3%A1s_de_cozinha

10 razões pelas quais alugar pode ser melhor do que comprar

Embora possuir uma casa seja uma meta vitalícia de muitas pessoas, o aluguel também tem vantagens. A posse de uma casa não é para todos. 

Para algumas pessoas, o aluguel pode fazer mais sentido para suas circunstâncias financeiras. Abaixo estão 10 vantagens de alugar, em vez de comprar, uma casa.

PRINCIPAIS VANTAGENS

  • Tanto o aluguel quanto a compra têm suas vantagens financeiras, e possuir uma casa não é o certo para todos.
  • Ao contrário dos proprietários, os locatários não têm custos de manutenção ou contas de conserto e não precisam pagar impostos sobre a propriedade.
  • O aluguel geralmente requer um depósito caução igual a um mês de aluguel, enquanto o comprador deve ter uma entrada considerável, normalmente cerca de 20% do valor da propriedade, ao comprar uma casa com hipoteca.
  • Geralmente, os locatários também têm contas de serviços públicos mais baixas, maior flexibilidade no local onde moram e acesso a comodidades, como piscina ou sala de ginástica, que de outra forma seriam proibitivamente caras.

1) Sem custos de manutenção ou contas de reparo

Uma das vantagens de alugar uma casa é que não há custos de manutenção ou contas de reparo. Quando você aluga um imóvel, o locador é responsável por toda a manutenção, melhorias e reparos. Se um eletrodoméstico parar de funcionar ou o telhado começar a vazar, você liga para o locador, que é obrigado a consertá-lo ou substituí-lo.

Os proprietários, por outro lado, são responsáveis ​​por todos os custos de reparos, manutenção e reforma da casa. Dependendo da natureza da tarefa, pode ficar muito caro.

2) Acesso às amenidades

Outro benefício financeiro do aluguel é ter acesso a comodidades que, de outra forma, seriam uma despesa enorme. Luxos como uma piscina subterrânea ou um centro de fitness são padrão em muitos complexos de apartamentos de médio a alto padrão, sem custo adicional para os inquilinos.

Se um proprietário quisesse ter acesso a essas comodidades, provavelmente custaria milhares de dólares para instalação e manutenção. Proprietários de condomínios precisariam pagar taxas mensais para ter acesso a eles.

3) Sem impostos imobiliários

Um dos principais benefícios de alugar versus possuir é que os locatários não precisam pagar impostos sobre a propriedade. Os impostos imobiliários podem ser um fardo pesado para os proprietários de imóveis e variam de acordo com o condado, em algumas áreas, os custos podem chegar a milhares de dólares anualmente.

Embora os cálculos do imposto sobre a propriedade possam ser complexos, eles são determinados com base no valor estimado da propriedade da casa e na quantidade de terreno. Com as casas recém-construídas ficando cada vez maiores, os impostos sobre a propriedade podem ser um encargo financeiro significativo.

Fonte: Reprodução: Pinterest

4) Sem adiantamento

Outra área em que os locatários têm melhores condições financeiras é o custo inicial. Os locatários geralmente têm que pagar um depósito caução igual a um mês de aluguel, um depósito que teoricamente será devolvido a eles quando eles se mudarem, desde que não tenham danificado a propriedade alugada.

Ao comprar uma casa com hipoteca, você deve ter uma entrada considerável, normalmente cerca de 20% do valor da propriedade. É claro que esse pagamento inicial resulta em ter patrimônio líquido na casa, que só aumenta à medida que a hipoteca é gradualmente liquidada. E uma vez que você possui uma casa livre e limpa, você tem um investimento valioso que os locatários nunca alcançam.

Ainda assim, o valor necessário para o pagamento de uma casa é significativamente maior do que um depósito de garantia de aluguel. Um adiantamento de 20% sobre uma casa com valor de mercado de $ 200.000 é $ 40.000. 

  Quem não tem dinheiro para pagar uma entrada é melhor alugar.

5) Mais flexibilidade quanto a onde morar

Os locatários podem morar em praticamente qualquer lugar, enquanto os proprietários ficam restritos a áreas onde possam comprar. Embora os aluguéis possam ser altos em áreas onde os valores das casas também são altos, os locatários podem encontrar mais facilmente um pagamento mensal acessível do que os compradores de casas.

A discriminação de crédito hipotecário e a discriminação de aluguel são ilegais. Se você acha que foi discriminado com base em raça, religião, sexo, estado civil, uso de assistência pública, nacionalidade, deficiência ou idade, existem medidas que você pode tomar. 

6) Poucas preocupações sobre a diminuição do valor da propriedade

Os valores das propriedades sobem e descem e, embora isso possa afetar os proprietários de uma grande forma, afeta os locatários substancialmente menos, se é que afeta. O valor da sua casa pode afetar o valor dos impostos sobre a propriedade que você paga e o valor da hipoteca. Em um mercado imobiliário difícil, os locatários podem não ser tão adversamente afetados quanto os proprietários.

7) Flexibilidade para reduzir o tamanho

Os locatários têm a opção de reduzir o tamanho para um espaço residencial mais acessível ao final do aluguel. Essa flexibilidade é especialmente importante para aposentados que desejam uma alternativa menor e mais econômica que corresponda ao seu orçamento.

É muito mais difícil livrar-se de uma casa cara por causa das taxas envolvidas na compra e venda de uma casa. Além disso, se o proprietário de uma casa investiu uma quantia significativa de dinheiro em reformas, o preço de venda pode não cobrir esses custos, deixando-o sem condições de vender e se mudar.

8) Valor do aluguel fixo

Os valores do aluguel são fixados para o período do contrato de arrendamento. Embora os proprietários possam aumentar o aluguel sem aviso prévio, você pode fazer um orçamento com mais eficiência, porque sabe o valor do aluguel que deve pagar.

As hipotecas de taxa fixa também permitem um orçamento eficiente, mas as hipotecas de taxa ajustável podem flutuar, muitas vezes resultando no aumento do pagamento da hipoteca devido a taxas de juros mais altas. Os impostos sobre a propriedade são outra variável que pode aumentar os custos para os proprietários, mas não afeta os locatários.

9) Custos de seguro mais baixos

Embora os proprietários precisem manter uma apólice de seguro, o equivalente para os locatários é a apólice de seguro do locatário, que é muito mais barata e cobre quase tudo que você possui, incluindo móveis, computadores e objetos de valor. 

10) Custos de serviços públicos mais baixos

Embora as casas possam variar em tamanho, geralmente são maiores do que apartamentos para alugar. Como resultado, eles são mais caros para aquecer e também podem ter contas de luz mais altas. As propriedades para aluguel geralmente têm uma planta baixa mais compacta e eficiente, tornando-as mais acessíveis para aquecimento e energia do que muitas casas.

Fonte: Reprodução: Pinterest

Conclusão

Possuir uma casa pode ser benéfico para os proprietários a longo prazo, devido ao valor do patrimônio líquido que adquirem em sua casa. Os locatários não têm nada tangível para mostrar durante anos de pagamentos de aluguel. No entanto, para aqueles que buscam evitar os aborrecimentos da casa própria, os custos de manutenção e os impostos sobre a propriedade, o aluguel pode ser uma opção melhor. Claro, isso depende do estilo de vida de cada pessoa, da situação financeira e se ela está trabalhando ou aposentada.

Fonte: https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/12/22/precos-de-venda-e-aluguel-de-imoveis-comerciais-acumulam-queda-de-108percent-em-1-ano-aponta-fipezap.ghtml

Tipos de empregos com diplomas em contabilidade | Carreiras de contador

Os contadores profissionais de hoje têm carreiras que usam uma grande variedade de habilidades aplicáveis ​​a funções altamente especializadas. Quando os editores do jornal escreveram em 1912 que um contador está começando a ser “visto como um médico de negócios”, eles não poderiam ter imaginado a gama dinâmica de áreas de prática que existiria 100 anos depois.

De acordo com o Departamento do Trabalho, entre 2016 e 2026, o número de empregos para contadores e auditores deve aumentar em 10%. Mudanças nas leis tributárias e no ambiente regulatório, bem como a expansão dos negócios comerciais globais e o aumento dos controles financeiros continuam a impulsionar a demanda por contadores qualificados nos setores público e privado.

Embora a base da contabilidade seja baseada em práticas contábeis uniformes, existem muitas maneiras diferentes de os contadores aplicarem esses princípios.

Trabalhos de contabilidade governamental e sem fins lucrativos:

  • Contabilidade de fundos
  • Empregos IRS

Empregos de contabilidade pública:

  • Custo estimado
  • Agente inscrito
  • Contador Forense
  • Avaliador imobiliário
  • Contador
  • Procurador Fiscal
  • Preparador de impostos

Empregos de contabilidade privada:

  • Assistente de contabilidade
  • Escriturário de contas a pagar / receber
  • Especialista em Sistema de Informação Contábil
  • Contador atuarial / contador de seguros
  • Escrituração
  • Analista de Orçamento
  • Contador de capital
  • Controlador / Controlador Financeiro
  • Contador de Custos
  • Contador Ambiental / Medição de Sustentabilidade
  • Contabilista de folha de pagamento

Serviços financeiros:

  • Especialista em avaliação de negócios
  • Planejador Financeiro Certificado
  • Analista financeiro
  • Consultor Fiscal
Fonte: Reprodução: Pinterest

O que é um contador e o que eles fazem?

Os contadores trabalham com indivíduos, pequenas empresas, grandes corporações, organizações sem fins lucrativos e agências governamentais para preparar e organizar documentos financeiros e fiscais.

A contabilidade é definida como uma forma organizada de manter registros de transações comerciais e financeiras, resumir essas transações e analisar, verificar e relatar os resultados financeiros. Outra maneira de ver a contabilidade é que ela é um sistema de informações projetado para identificar, medir, registrar e comunicar informações confiáveis, relevantes e consistentes sobre as atividades econômicas de uma organização.

A contabilidade envolve apenas transações que podem ser expressas em termos monetários. Algumas pessoas chamam a contabilidade de “a linguagem dos negócios” e seu objetivo é ajudar os usuários de informações contábeis a tomarem melhores decisões

Estas são algumas das muitas tarefas que os contadores executam para seus clientes:

  • Organização e manutenção de registros financeiros
  • Avaliar as operações financeiras e fazer recomendações à gestão sobre as melhores práticas financeiras
  • Examinar livros de contas e sistemas de contabilidade para se certificar de que são eficientes e estão em conformidade com os padrões e procedimentos de contabilidade aceitos
  • Preparar declarações fiscais e tarefas relacionadas
  • Examinar as demonstrações financeiras para garantir que sejam precisas e atendam aos requisitos legais
  • Sugestão de maneiras de aumentar a receita, reduzir custos e melhorar os lucros

Os contadores têm a opção de se tornarem Contadores Públicos Certificados (CPAs). Os CPAs atendem aos requisitos de licenciamento do estado em que atuam. As qualificações para licenciamento estadual variam, mas normalmente exigem 150 horas de educação (30 horas além do bacharelado de 120 horas em contabilidade). Os requisitos de licenciamento também sempre incluem alguma experiência documentada e obtenção de uma pontuação de aprovação no Exame CPA Uniforme.

A principal tarefa que as CPAs podem realizar, e as que não são CPAs não podem, é a preparação de demonstrações financeiras auditadas e revisadas para a Securities and Exchange Commission (SEC).

Fonte: Reprodução: Pinterest

Carreiras em diferentes áreas da contabilidade

Costuma-se dizer que uma das maiores decisões de carreira que os contadores tomam ocorre muito cedo, ao decidir em qual área geral da contabilidade se especializar. Isso ocorre porque toda a carreira no que diz respeito aos tipos de clientes com os quais um contador trabalha, o tipo de educação e certificação profissional de que precisarão, o nível de educação que concluirão e a própria natureza do trabalho que realizarão serão ditados por essa decisão.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Contabilidade

Qual é o melhor gesso para usar? Um guia comparativo para gesso

Fonte: Reprodução: Pinterest

Quando se trata de construir as suas paredes interiores, nada é melhor ou mais versátil do que o gesso! Um material durável que tem sido confiável por gerações de construtoras, o gesso é a escolha principal para o acabamento de paredes em casas.

No entanto, o gesso pode ser um trabalho complicado para a bricolagem. Há muita habilidade envolvida na aplicação adequada: desde determinar a consistência certa até conhecer os métodos de aplicação adequados, pode ser assustador! 

Outro fator a considerar é o uso dos materiais certos. Diferentes tipos de gesso foram desenvolvidos para atender a diferentes tipos de trabalho. Isso significa que pode haver muitos itens por aí! Para obter o melhor sucesso em seu projeto de gesso, você precisará saber quais são os produtos certos. Portanto, continue lendo para descobrir qual é o melhor lugar para usar para o seu aprimoramento.

Então, quando você estiver pronto para ser seu projeto de gesso, envie uma solicitação gratuita para encontrar facilmente os melhores estucadores perto de você!

Uma comparação de tipos de gesso

Com tantos tipos diferentes de gesso nas prateleiras de sua loja de materiais de construção local, pode ser difícil saber qual é o certo para suas necessidades. Certos elementos farão com que o gesso se encaixe perfeitamente em um trabalho, mas será frustrante em outro. 

Certamente torna mais fácil saber qual é o produto certo a ser usado para garantir que você tenha os materiais para começar. Portanto, continue lendo para obter mais informações sobre os tipos comuns para ajudá-lo a tomar uma decisão informada para o seu projeto.

Gesso pronto

Uma das maiores barreiras mentais para o gesso é a ideia de misturar o gesso incorretamente. Felizmente, o gesso pronto está disponível para tornar este projeto muito mais fácil. A proporção certa de areia de gesso e outros materiais é misturada com água e, a seguir, embalada em sacos ou baldes pré-misturados. 

Também está disponível em formato seco, onde basta adicionar água. Isso pode ser conveniente se você precisar apenas de uma pequena quantidade de gesso e puder misturá-la conforme necessário. 

O gesso pronto é a escolha perfeita para quem tem pouco tempo. Em vez de medir quantidades de material, ele está pronto para você usar! 

Este tipo de gesso é ideal para preencher pequenas fissuras ou buracos em paredes previamente rebocadas, bem como para rebocar novas paredes em juntas de placas de gesso. Procure uma variedade com vários acabamentos que seja adequada para uma variedade de aplicações. Uma vez que seca rapidamente, é perfeito para projetos de parede e teto.

Mixagem pronta para renderização

Um dos tipos mais populares para projetos DIY, a renderização de mistura pronta oferece a proporção perfeita de materiais. Reboco de mistura a seco que combina as quantidades certas de areia e cimento. Isso só precisa de água adicionada para misturar até a consistência adequada, dando a você um pouco mais de flexibilidade no seu uso. Usar um renderizador de mistura a seco torna mais fácil e elimina as suposições da preparação.

A renderização de mixagem pronta pode ser muito útil em momentos em que todo o projeto precisa ser concluído rapidamente. Isso pode ser usado para qualquer tipo de revestimento de parede externa, já que você pode aplicar uma camada de gesso diretamente sobre o tijolo, cimento, bloco ou outros materiais de parede subjacentes.

Areia de gesso

Um elemento essencial, a areia de gesso é combinada com cimento e água em certas proporções para obter o material de gesso adequado. Ao comprar areia de reboco, você pode encontrá-la como seu próprio material separado, conforme mostrado abaixo, ou pré-misturada com cimento.

Se você comprar areia que ainda não foi pré-misturada no local, você adicionará seus materiais para criar o gesso. Para uma adesão adequada, você precisará curar suas paredes antes e depois do reboco. Use uma cobertura úmida ou método de aspersão para garantir que você tenha as condições adequadas para o uso de areia de gesso. 

O reboco de areia é um produto versátil e pode ser utilizado tanto em paredes externas quanto internas. No entanto, não pode ser aplicado em superfícies lisas. Você precisará desbastar suas paredes antes da aplicação para garantir que o projeto se mantenha. 

Observe também que a areia de gesso pode estar sujeita a rachaduras ou encolhimento com o processo de secagem e envelhecimento, portanto, isso pode exigir mais atenção no futuro para reparo.

Fonte: Reprodução: Pinterest

Gesso

Feito de gesso, este gesso é usado para construir o acabamento de suas paredes para um estado forte e durável. Você obterá este gesso em um formato seco que, quando misturado com água, solidificará e endurecerá. Não será necessário adicionar areia ao usar gesso, tornando o preparo um pouco mais simples do que outros materiais. 

Como esse tipo de gesso tende a atrair umidade, é melhor usá-lo apenas em algumas paredes e tetos internos. Pode ser aplicado em superfícies lisas e ásperas.

Evite usar gesso em banheiros ou cozinhas, pois os níveis mais elevados de umidade podem fazer com que o gesso absorva água e desenvolva problemas. 

O gesso pode atingir um acabamento fino e é frequentemente usado como acabamento em projetos de gesso. É menos sujeito a rachaduras, o que o torna uma ótima escolha para a longevidade de suas paredes.

Emplastro de colagem

Este é um gesso versátil que pode ser usado para criar uma ótima primeira demão, chamada subcapa, para o seu projeto. Também chamada de scratch coat, a colagem é uma base essencial para o acabamento do gesso. Ele pode ser aplicado em concreto ou ladrilho, e você não precisará desbastar essas superfícies para que a colagem adira.

A colagem também é usada em paredes novas ou que precisam de remendos. Ele permite que as camadas superiores prendam uma vez que é arranhado com um prego para criar uma superfície áspera para a adesão. Pode ser utilizado tanto no interior como no exterior da sua casa.   

Resumo

Quer se trate de uma nova parede ou de um reparo, o uso de gesso é um método testado e comprovado de reforma da casa. Só é preciso alguma habilidade e o conhecimento dos materiais de que você precisa. 

Depois de ler seu artigo, você deve saber que tipo de gesso seu trabalho precisa. Usar isso irá garantir os melhores resultados. Agora é hora de contratar um estucador local e começar seu projeto!

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Gesso