Como funciona a sessão de terapia tântrica

Minha clínico e comadre me contou dos planos dela, de como pretende provocar o tantra verdadeiro ao público, e acabar com a ficção deturpada que pensam ser o tantra no Brasil. Aqui, lamentavelmente, tanto o fachada tântrico quanto a própria idéia de massagem e terapia são surpreendentemente distorcidas pela milionária indústria do volúpia. Felizmente, não era volúpia que eu esperava naquela noite, e sinceramente não tirou falta qualquer.


Depois de o café começamos com umas perguntas básicas: se cigarro, bebo e como me mantimento, o que parece ser o padrão da primeira convenção. Ela me explicou que iríamos primeiro trabalhar minha respiração, para em seguida ela utilizar o toque e abrir pontos de pressão no meu corpo. Entendi que a respiação adequada era primordial, e de pela certa maneira fiquei feliz por já ter um pouco de execução com elucubração e divisão, duas atividades que dependem de uma ótima respiração.


De cara com a Morte


Em seguida dessa conversa principiante, fomos para m lugar pouco luzidio, no qual inicia o tratak, ou “yoga dos olhos ”, a ciclo principiante de uma terapia tântrica. Me despi e sentei de frente a Jayanti, olhando fixamente seu atenção direito. A indicação foi não brilhar, mesmo que sentisse os olhos irritados ou lacrimejando. Em poucos segundos estávamos os dois soltando lágrimas. Ela me explicou que nesse hora acontece uma coisa conhecido por transfiguração, em que a minha ficção iria iniciar a despossar o controle da existência, imaginar formas geométricas e modificar a imagem da indivíduo sentada na minha frente, que seria capaz aparentar ser mais jovem, mais morte, ou mesmo um imenso.


O que de fato resultou foi um pouco distinto. Ela não pareceu modificar de idade, porém de acordo com falava, seu fachada ficava cada vez mais macilento, indo aos poucos para o pó e por fim se decompondo. A pele afinava, e por fim parecia se descolar do frente, esfarinhas e se realizar em pedaços. Minha comadre aparecia morrendo na minha frente, ou por isso adquirindo o fachada da Morte.

Olhar nos olhos vazios dela era perturbador, porém mais também era analisar a pele em redor perdendo a coloração e o brilho da vida. Mantive a duras penas o contato visual, lacrimejei bastante e parei de experimentar moderar a experiência, apenas senti o que aparecia acontecendo.


No momento em que você está assentado, escorchado, na frente de outra indivíduo segurando suas mãos, há bastante pouco ou aproximadamente nada a obedecer.


Sensações Etéreas


A clínico tântrica pediu para eu encerrar os olhos e me deitar, o que prontamente atendi. Conduzindo-se a orientação de Jayanti, passei a respirar apenas pela boca e de imediato comecei a sentir um formigueiro no frente, especialmente nos lábios e nas bochechas. Com toques suaves na abdômen e nos membro, ela começou a segunda ciclo da terapia, uma massagem sensitiva para deixar minha receptividade ao jeito, de início comigo de abdômen pra cima, e em seguida me colocando de um lado, de outro e de bruços.

Senti calor, ternura e aconchego. Senti um pouco de humilhação similarmente. Me perguntei o que ela aparecia pensando, o que escreveria nesse resenha que você está lendo agora, como isto seria nas próximas sessões no momento em que eu já estiver habituado com essa execução, como aparecia sendo na momento.
Os toques eram surpreendentemente leves, e de fato parecia várias vezes que eu não aparecia sendo acertado. Em mais momentos, as pontas dos dedos dela se combinavam ao cabelo e a leves sopros, que causavam reações inesperadas no meu corpo. Não era sexual, porém era sensual, muito sensual.


Pensava isto às vezes, depressa, visto que a maior parte do meu tempo foi concentrada na minha respiração. No início era cediço respirar apenas pela boca. A garganta secava, o força coçava, mil movimentos pediam minha atenção e imploravam pela momento de serem executados. Ignorei todos eles e me entreguei ao descanso completo do corpo, causado por aquele toque que aproximadamente não era um toque.



Próximo do final, ela vendou meus olhos que já estavam fechados, e me deixou sem companhia comigo mesmo. Pela primeira vez em bastante tempo, pude sentir meu corpo, escutar minha mente, sem ter qualquer provocação externo. Qualquer e-mail pra agir, nenhuma citação numa quadro, qualquer guerra da empresa para retirar. Ao mesmo tempo que senti essa libertação, similarmente senti um frio gélido tomando conta das minhas pernas, mãos, tórax e pescoço.


Novamente, a morte falava comigo. Porém dessa vez sem as palavras da minha clínico. Ela falava com minha pele, me fazendo sentir um frio aproximadamente congelante. Falava com minha espetáculo, a partir de uma som que me fazia sentir sem peso, e falava com minha mente, sutilmente dizendo para eu me deixar provocar.
Senti insulamento, frio, repouso, porém similarmente graça, desambição, liberdade.


Aos poucos, fui parando de me incomodar com aquelas sensações. Pessoalmente tenho um medo excessivo da morte por julgar que também tenho um emissário a deixar, benefício meu filho e benefício mundo. Porém naquele hora eu sentia a morte de próximo, imaginava se essa era a percepção de rebentar de fato, ou se era apenas o meu cérebro associando uma ideia àquela experiência. As sensações, que antes tomavam seu tempo e se alternavam lentamente, começaram a atuar mutuamente e substituir de lugar com mais rapidez, até que pareciam estar ativas todas ao mesmo tempo.

Saiba Mais: Conheça as técnicas que utilizamos e quais os resultados alcançados


Num dos poucos momentos ao longo toda a convenção tântrica que me lembro de ter planificado uma citação em minha cabeça, pensei “Relaxe, você necessita pegar isto para seguir em frente.


A Volta


Jayanti me disse para voltar, aos poucos, à percepção física. Estalar alguns dedos, tender os membro, abrir lentamente os olhos. Me perguntou o que eu senti e, também torpe pela experiência, expliquei por cima o que você leu até agora. Ela sorriu, disse cada indivíduo vive uma coisa distinto, e que já ouviu pacientes falando em percepção de morte antes.


Não sei precisamente o que me aguarda nas próximas sessões, e sinceramente confio no incerto e na minha clínico. Porém posso já associar com você que, não importa o quanto você tenha se determinado com os parágrafos acima, nenhuma descrição em palavras faz justiça ao que é uma convenção de terapia tântrica. Pode ser que seja visto que ela ativa sesanções e emoções mais velhas e mais pertinente ao cidadão que a própria dialeto. Pode ser que seja visto que ela acesse a memória telefone celular, indo mais interessante que nossas mentes podem com mera recomendação e filosofia.


A verdade é que apenas experimentando isto na execução você pode ter uma ideia que é a terapia tântrica, do que vai viver e de como isto funciona. E que mal posso aguardar pela próxima convenção.

FONTE:
https://www.kayaterapias.com/